O ensino de ciências e biologia no sistema prisional: uma busca por temas, estratégias e recursos didáticos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2022.5052

Palavras-chave:

Educação. Ensino. Ciências Biológicas.

Resumo

O objetivo desse trabalho foi buscar temas, estratégias e metodologias utilizados no ensino de Ciências e Biologia no sistema prisional, visto que este deve ter a mesma qualidade daquele oferecido fora do sistema prisional. Tal ensino no sistema prisional é um direito do sentenciado segundo a Lei de Execução Penal (LEP) nº 7.210/1984, composta na Constituição de 1988. Para tanto, optamos por investigar a literatura de referência, aquela publicada nos periódicos em Educação/Ensino, classificados pelo Qualis, A1 a B3 de 2005 a 2017. Dentre os muitos periódicos do campo da Educação, encontramos apenas 18 que continham artigos que nos interessavam, e selecionamos 31 artigos. Não encontrar nenhum artigo sobre o ensino de Ciências e Biologia no sistema prisional foi frustrante visto que foi um trabalho intenso durante um período de seis meses de pesquisas, e não confirmou, portanto, nossa hipótese. Consideramos que novas pesquisas são necessárias, pois acreditamos que desenvolver no encarcerado e na encarcerada o senso-crítico, a capacidade de interpretação e conhecimento sobre Ciências e Biologia pode contribuir para a ressocialização e a melhor autoestima dessas pessoas, visto que para tais pessoas privadas de liberdade, a escola situada no sistema prisional seja o principal local de reflexão quanto à sua conduta e busca por uma melhora de vida.

Referências

ARAUJO Jr, A ; AVANZI. M. R.; GASTAL, M. L. Uma experiência de encontro entre narrativas autobiográficas e narrativas científicas no en-sino de Biologia para jovens e adultos. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc., Belo Horizonte, v.19, p.1-19, 2017.

BERTOGLIO, D. S.; LIMA, V. M. R,; PIRES, M. G. Uma proposta pedagógica direcionada ao ensino de Ciências para estudantes jovens e adultos. Experiências em Ensino de Ciências, v.10, n.2, p.102-118, 2015.

BUENO, J. G. S. Apresentação. In ONOFRE, E. M. C. (Org.) Educação escolar entre as grades. São Carlos: Edufscar, 2007, 160 p.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília: Imprensa Oficial, 1998.

_______. Lei n. 13.163, de 9 de setembro de 2015. Modifica a Lei no 7.210, de 11 de julho de 1984 - Lei de Execução Penal, para instituir o ensino médio nas penitenciárias, 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13163.htm>. Acesso em: 16 de abril de 2017.

_______. Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, 1996. Disponível em: <ftp://ftp.fnde.gov.br/web/siope_web/lei_n9394_20121996.pdf>. Acesso em: 16 de abril de 2017.

______. Ministério Da Educação Secretaria Da Educação Média E Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais + (PCN+) - Ciências da Natureza e suas Tecnologias, 2002. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf>. Acesso em: 10 de maio de 2017.

______. Secretaria De Estado Da Educação. Educação de Jovens e Adultos – EJA. Rondônia: SEE, 2013.

______. Ministério Da Justiça Departamento Penitenciário Nacional. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias INFOPEN, 2014. Disponível em: <http://www.justica.gov.br/noticias/mj-divulgara-novo-relatorio-do-infopen-nesta-terca-feira/relatorio-depen-versao-web.pdf>. Acesso em: 25 de junho de 2017.

CAVAGLIER, M. C. S.; MESSEDER, J. C. Plantas Medicinais no Ensino de Química e Biologia: Propostas Interdisciplinares na Educação de Jovens e Adultos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.14, n.1, p.55-71, 2014.

CAVALCANTE, E. C. B. Cinema na cela de aula: o uso de filmes no ensino de Biologia para a EJA prisional. 2017, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências. Mestrado Profissional em Ensino de Ciências. Universidade de Brasília, 153 p., Brasília-DF, 2011.

COSTA, M. C. M. P.; SILVA, C. C. A. O Ensino das Ciências e as TICs: o uso do Laboratório de Informática como facilitador do processo ensino-aprendizagem da alfabetização de Jovens e Adultos. OEI. Disponível em: . Acesso em: 10 de maio de 2017.

DESSEN, M. A.; POLONIA, A. C. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paideia, v.17, n.36, p.21-32, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/paideia/v17n36/v17n36a03>. Acesso em: 10 de abril de 2017.

DUARTE, C. T.; ALMEIDA, F. C. S.; ARRUDA, R. M.; CAMPOS, M. G.; MACHADO, N. G. Ensino de Ciências na EJA: Relato de uma experiência Didática. UNOPAR Científica: Ciências Humanas e Educação, v.15, n. esp., p.375-380, dez.2014.

DUARTE, S. M.; MONTEIRO, E. M. Diretrizes para a educação nas prisões: analisando a prática. EDURECE, XII Congresso Nacional de Educação. Formação de Professores, Complexidade e Trabalho docente. PUCPR 26 a 29 out. 2015. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/18740_11285.pdf>. Acesso em 25 de junho de 2017.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. [Apostila do curso de Especialização em Comunidades Virtuais de Aprendizagem – Informática Educativa]. Fortaleza: UFC, 2002.

FRAGA, R. F.; BORGES, R. M. R. Bioética com animais: uma proposta para a Educação de Jovens e Adultos no Ensino Médio. Experiências em Ensino de Ciências, v. 5, n. 1, 2010.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 39 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOMES, A.T.; GARCIA, I. K. Aprendizagem significativa na EJA: Uma análise da evolução conceitual a partir de uma intervenção didática com a temática Energia. Investigações em Ensino de Ciências, v. 19, n.2, p.289-321, 2014.

KRELLING, L. M.; FLORCZAK, M. A.; SUTIL, N. A Educação de Jovens e Adultos e o Ensino de Ciências Naturais: Contribuições da utilização dos conceitos unificadores. Ciências e Ideias, v. 7, n.3, p. 101, 2016.

LAFFIN, M. H. L. F.; NAKAYAMA, A. R. O trabalho de professores/as em um espaço de privação de liberdade. Educ. Real. v.38, n.1, p. 155-178, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext;pid=S2175-62362013000100010;lng=en;nrm=iso>. Acesso em: 05 de julho de 2017.

LEITE, A. C. S.; SILVA, P. A. B.; VAZ, A. C. R. A importância das aulas práticas para alunos jovens e adultos: uma abordagem investigativa sobre a percepção dos alunos do PROEF II. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 7, n. 3, p. 166 – 181, 2005.

LEME, J. A. G. A cela de aula: tirando a pena com letras. Uma reflexão sobre o sentido da educação nos presídios In E. M. C., Onofre (Org). Educação escolar entre as grades. São Carlos: EdUFSCar, 2007.

LIMA, A. C. C.; MEDEIROS, M. L. Q.; ARAUJO, M. F. F.; MONTENEGRO, L. A.; IORIOPETROVICH, A. C. Concepções alternativas, sobre aspectos morfológicos e fisiológicos dos peixes, de alunos da educação para jovens e adultos. Revista da SBEnBIO, n.7, p. 5515-5526, 2014.

LOPES, M. R. O.; FERREIRA, T. L. A Educação de Jovens e Adultos e o Ensino de Ciências: Uma Revisão da Literatura. Revista Científica Interdisciplinar, v.2, n.3, p. 67-78, 2015.

LOURENÇO, F. H. S. M.; BARROS, J. D.S. Educação de Jovens e Adultos no Sistema Prisional: concepções dos Discentes a cerca de utilização de filmes didáticos no Ensino de Biologia. XII Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, S/D.

MACHADO, E. F.; CULPI, V. L. F. Possibilidades metodológicas para a apropriação do tema Artrópodes na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Experiências em Ensino de Ciências, v. 10, n. 1, p. 41 – 53, 2015.

MACIEL, M. M.; GONÇALVES, P. B.; BARROS, J. D. S. A utilização de documentários didáticos no Ensino de Biologia na EJA da cidade de São José de Piranhas-PB. Pesquisa Interdisciplinar, v.1, n. esp., p. 99-105, 2016.

MELLO, F. M.; SANTOS, L. M. Reflexões sobre a educação escolar no sistema prisional, 2017. Disponível em: <http://www.uesb.br/recom/anais/artigos/02/Reflex%C3%B5es%20sobre%20a%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20Escolar%20no%20Sistema%20Prisional%20-%20F%C3%A1bio%20Mansano%20de%20Mello%20e%20Leonardo%20Moraes%20dos%20Santos.pdf>. Acesso em: 08 de julho de 2017.

MERAZZI, D. W.; OAIGEN, E. R. Atividades práticas do cotidiano e o Ensino de Ciências na EJA: a percepção de educandos e docentes. Amazônia – Revista de Educação em Ciências e Matemática, v. 3, n. 6, p. 1–18, 2007.

MERAZZI, D. W.; OAIGEN, E. R. Atividades práticas em Ciências no cotidiano: valorizando os conhecimentos prévios na Educação de Jovens e Adultos. Experiências em Ensino de Ciências, v. 3, n. 1, 2008.

MONACO, G. D.; LIMA, E. F. Que conhecimentos sobre Ciências ensinamos na Educação de Jovens e Adultos e quais poderíamos ensinar?. Série-Estudos, n. 32, p. 67-85, 2011.

MORAIS, F. A. O Ensino de Ciências e Biologia nas turmas de EJA: experiências no município de Sorriso-MT. Revista Iberoamericana de Educación, v. 6, n. 48, p. 1–6, 2009.

MORAIS, R. W-R.; SOARES, C. C. Estratégias e metodologias para o ensino de Ciências na Educação de Jovens e Adultos – EJA, Sala de Aula em Foco, v. 1, n. 1, p. 14-20, 2012.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. São Paulo: Papirus, 2000.

MOREIRA, A. F.; FERREIRA, L. A. G. Abordagem temática e contextos de vida em uma prática educativa em ciências e biologia na EJA. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 17, n. 3, p. 603-624, 2011.

NAKAYAMA, A. R. O trabalho de professores/as em um espaço de privação de liberdade. Dissertação de Mestrado em Educação – Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, 2011.

NASCIMENTO, V. S.; BENITE, C. R. M.; FRIEDRICH, M.; BENITE, A. M. C. O ensino de Ciências e Matemática na educação de jovens e adultos: um estudo de caso sobre ação docente. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis:v.4,n.1,Ano:2011(p.67-88). Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37547/28835>. Acesso em: 04 jun. 2017.

NEVES, A. L. L. A.; SOUSA, G. M.; ARRAIS, M. G. M. A produção de jogos didáticos de Botânica como facilitadores do ensino de Ciências na EJA. Revista da SBEnBIO, n.7, p. 553-563, 2014.

NUNES, E. F.; HORA, B. L. V.; PINHEIRO, S. A.; ARAUJO, T. L. Aplicando o fenômeno da Maré Negra como ferramenta problematizadora com alunos do EJA. Revista da SBEnBIO, n.7, p. 1845-1854, 2014.

OLIVEIRA, C. B. F. A educação escolar nas prisões: uma análise a partir das representações dos presos da penitenciária de Uberlândia (MG). Educação Pesquisa, v.39, n.4, p.955-967, 2013.

OLIVEIRA, L. L.; ZANCUL, M. S. Textos de divulgação científica (TDC) nas aulas de Biologia na Educação de Jovens e Adultos (EJA) para abordar a temática alimentação. Revista Práxis, v. 6, n. 11, p. 53-63, 2014.

OLIVEIRA, L. M. P. P.; ANDRADE, V, A. Uma Contribuição do Ensino de Ciências para a discussão e a prevenção do HPV no contexto do Programa de Educação de Jovens e Adultos. Revista Práxis, v. 8, n. 15, p.119-134, 2016.

OLIVEIRA, S. G. T.; MUNFORD, D. Apropriação do discurso científico: uma análise do uso da linguagem científica em atividades de ensino de ciências com alunos da educação de jovens e adultos (EJA). Revista da SBEnBIO, n.7, p. 6830-6840, 2014.

PARANHOS, R. D.; SHUVARTZ, M. A. Relação Entre Educação Ambiental e a Educação de Jovens e Adultos Sob a Perspectiva da Trajetória dos Educadores. Contexto & Educação, n.91, p. 84-105, 2013.

PORTO, M. L. O.; TEIXEIRA, P. M. M. Ensino de Biologia na Educação de Jovens e Adultos (EJA): um estudo de Revisão Bibliográfica. Revista da SBEnBIO, n.7, p. 5437 – 5448, 2014.

PORTUGUES, M. R. Educação de adultos presos. Revista Educação e Pesquisa, v.27, n.2, p.355-374, 2001.

RANGEL, H. . Educando para a liberdade: trajetória, debates e proposições de um projeto para a educação nas prisões brasileiras In: Perspectiva Comparada de Práticas Educativas: síntese para vincular a Educação e a Justiça. Cap. 4, p.59-70. Brasília: UNESCO, Governo Japonês, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, 2006, p. 59-70.

SANTOS, O. R. Um Olhar de Alunos da EJA sobre Impactos Ambientais do Turismo Costeiro em Ajuruteua (Bragança-PA). Contexto & Educação, v.100, n.31, p.116-139, 2016.

SANTOS, O. R. Um Olhar de Alunos da EJA sobre Impactos Ambientais do Turismo Costeiro em Ajuruteua (Bragança-PA). Contexto & Educação, v. 31 n. 100, p.116-139, 2016.

SANTOS, P. O.; BISPO, J. S.; OMENA, M. L. R. A. O ensino de Ciências Naturais e cidadania sob a ótica de professores inseridos no programa de aceleração de aprendizagem da EJA - Educação de Jovens e Adultos. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 11, n. 3, p. 411-426, 2005.

SILVA, D. S.; SILVA, M. A.; ZIEGLER, S. S. Reflexões metodológicas para o ensino de Ciências na EJA: a utilização das modalidades didáticas. Revista da SBEnBIO, v.7, p.1559-1570, 2014.

SOARES, M. N. T.; GASTAL, M. L. A. O início, o fim e o meio: algumas concepções e imagens de estudantes da EJA sobre menstruação, menopausa e climatério. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 16, n. 2, p. 275-293, 2016.

SOUZA, E. C. F.; COSTA, G. C.; BORNSTEIN, C. J. U. Desafios do trabalho docente na Educação de Jovens e Adultos: vivências da prática de ensino em Ciências Biológicas. Cadernos do Aplicação, v. 26, n. 2, p. 61-69, 2013.

TRENTIN, E. Todo cidadão deveria saber a importância da educação prisional. Em dialogo. Rio de Janeiro, 07 de set. 2013. Disponível em: <http://www.emdialogo.uff.br/content/todo-cidadao-deveria-saber-importancia-da-educacao-prisional,2013>. Acesso em: 09 de julho de 2017.

VILANOVA, R.; MARTINS, I. Educação em Ciências e educação de jovens e adultos: pela necessidade do diálogo entre campos e práticas. Ciênc. educ. (Bauru), v. 14, n. 2, p. 331-346, 2008.

Créditos das imagens

BRASIL. Ministério Da Justiça Departamento Penitenciário Nacional. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias INFOPEN, 2014. Disponível em: <http://www.justica.gov.br/noticias/mj-divulgara-novo-relatorio-do-infopen-nesta-terca-feira/relatorio-depen-versao-web.pdf>. Acesso em 25 de junho de 2017.

Downloads

Publicado

23/01/2022

Como Citar

OLIVEIRA, J. V. de; TAVARES JUNIOR, M. J. O ensino de ciências e biologia no sistema prisional: uma busca por temas, estratégias e recursos didáticos. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 9, p. 1–19, 2022. DOI: 10.26568/2359-2087.2022.5052. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/5052. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.