Adaptações curriculares para a educação do campo mediante as orientações da Base Nacional Comum Curricular - BNCC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2022.6527

Palavras-chave:

Currículo. BNCC. Educação do Campo. Igualdade.

Resumo

O enfoque deste artigo consistiu em abordar discussões sobre a Base Nacional Comum Curricular – BNCC, promulgada no ano de 2017, considerando as orientações que devem ser seguidas para adaptar os currículos e/ou realizar a construção de um novo documento em todo o território brasileiro, precisamente no que se refere à educação do campo. Ressalta-se que a proposta da base apresenta-se com o objetivo de promover a equidade e a igualdade educacional, independentemente da localização geográfica, além de destacar a formação continuada para os professores, no sentido de que estes devem construir os saberes essenciais voltados para a sala de aula, para que alcancem o perfil formativo. Para tanto, neste estudo, buscaram-se aportes teóricos para averiguar se haverá mudanças significativas na educação do campo devido às especificidades da área rural. Dessa forma, indagou-se: como os professores que atuam na educação no campo, com a BNCC, adequam os saberes curriculares locais, considerando as especificidades da condição geográfica e cultural? Para a busca das respostas, realizou-se uma revisão de literatura, em uma abordagem histórico-crítica. Enfatiza-se que, a partir de uma prática diferenciada, mediadora, dialogada, com linguagem de possibilidades e alternativas será possível empreender, na educação do campo, um processo de construção de conhecimentos vinculados à realidade do aluno, possibilitando a percepção do universo particular para uma leitura mais geral. Em razão da pesquisa realizada, foi possível perceber que a BNCC terá condições de contribuir com os aspectos formativos da educação do campo, desde que haja a relação entre o currículo, a teoria e a prática pedagógica empreendida nesse local.

Biografia do Autor

Josineide Macena da Silva, Universidade Federal de Rondônia - Mestranda em Educação.

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de Rondônia. Especialista em Coordenação Pedagógica e Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Rondônia. Membro do Grupo de Pesquisa Práxis.

Wendell Fiori de Faria, Universidade Federal de Rondônia

Pós-Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (FEUSP) e Doutor em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), na área de confluência de estudos do cotidiano da educação popular. Professor do Departamento de Educação (DECED) e no Programa de Pós-Graduação Strictu Sensu, Mestrado Acadêmico em Educação (PPGE/UNIR) da Universidade Federal de Rondônia - Porto Velho. Mestre em educação pela Universidade Tuiuti do Paraná, especialista em Pedagogia Escolar (IBPEX) e em Educação a Distância pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), graduado em Pedagogia (Supervisão Escolar e Docência das Séries Iniciais do Ensino Fundamental) pelo Centro Universitário Candido Rondon (UNIRONDON). Membro do Grupo de pesquisa Práxis - Unir.

Rosenilda Caetano, Universidade Federal de Rondônia - Mestranda em Educação.

Mestranda do Programa de Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Rondônia. Graduada em Pedagogia pela Uniron. Membro do Grupo de Pesquisa Práxis.

Rosângela de Fátima Cavalcante França, Universidade Federal de Rondônia

Doutora em Educação Escolar pela UNESP/Araraquara Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Rondônia Especialização em Psicologia Pedagógica pelo Instituto Superior de Estudos e Pesquisas Psicossociais ( ISOP/FGV-RJ ) .Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará .É Professora do Departamento de Ciências da Educação da Universidade Federal de Rondônia,  do Programa de Pós-Graduação - Mestrado Acadêmico em educação. É líder do grupo de Pesquisa Práxis/UNIR.

Referências

ARROYO, Miguel. G. Currículo, território em disputa. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

ANHAIA. Edson Marcos de. Constituição do Movimento de Educação do Campo na Luta por políticas de Educação. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade de Santa Catarina- UFSC. Florianópolis: 2012. p. 59-98. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/94505/287951.pdf?sequence=1 &isAllowed=y. Acesso em: 13 de fev. 2020.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº 9394/96. Brasília. 1996.

BRASIL. Parecer nº 36, de 04 de dezembro de 2001. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Brasília, 2001.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 4, de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Brasília, 2010. Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/Downloads/ccs/concurso_2013/PDFs/resol_federal_04_1 4.pdf. Acesso em: 14 de jan. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular EI/EF Versão Final. Brasília. 2017. p. 4-62. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base. Acessado em 05 de jan. 2020.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais/Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. 3. ed. Brasília, 2001.

BRASIL. Educação do Campo: Diferenças mudando paradigmas. Ministério da Educação. Brasília: 2007. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/me4531.pdf. Acesso em 29 de abr. 2020.

FERREIRA, Sebastião. Educação ambiental e educação do campo na produção de novas racionalidades: diante da cultura globalizada. Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. Espírito Santo: 2010. p. 35-46 Disponível em: http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/tese_4532_Sebastiao_Ferreira.pdf. Acesso em: 15 de fev. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Trad. Guacira Lopes Louro. Porto Alegre, Artes Médicas Sul, 1993.

LIRA, Lívia Julyana Gomes Vasconcelos. Desigualdades entre Escolas Rurais e Urbanas: Análise do Período 2000 – 2015. Dissertação (Mestrado em Economia Rural). Universidade Federal do Ceará. Fortaleza: 2017. p. 18-34. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/22669. Acesso em: 10 de fev. 2020.

LUCAS. Rosa Elane Antória. Educação formal/rural permeando as relações do campo: um estudo de caso na Escola Estadual de Tempo Integral Ensino Fundamental Cândida Silveira Haubman. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Pelotas. Arroio Grande: RS, 2008. p. 80-116. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/ndh/files/2019/06/LUCAS-Rosa-Elane-Ant%C3%B3ria.pdf. Acesso em: 09 de fev. 2020.

MOREIRA, A. F. SILVA, T. T. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. São Paulo: Cortez, 8. ed., 2005.

PORFIRO, Neire Abreu Mota. O processo de construção do Referencial Curricular de Língua Portuguesa do Município de Porto Velho. 213 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Rondônia - UNIR, Porto Velho: 2017. p. 29-88. Disponível em: http://www.ppge.unir.br/uploads/62248421/arquivos/dissertaoneire_abreu_mota_ porfiro_816383.pdf. Acesso em: 08 de fev. 2020.

REGALO, Carlos Alberto. Educação, Escola e Sociedade no Brasil: matrizes históricas, determinações políticas e estigmas institucionais da Reforma Neoliberal (1996-2006) e de suas implicações pedagógicas e curriculares. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas. Campinas: São Paulo, 2013. p.14-58. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/250720/1/Regalo_CarlosAlberto_D.p df. Acesso em: 09 de fev. 2020.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, Sílvia Karla Batista de Macena Martins dos. Educação Popular e Educação do Campo: Relação entre entre teorias e práticas na formação educadores no Curso de Pedagogia – educação do campo/UFPB. Dissertação (Mestrado em Educação). João Pessoa/PB, 2017. p. 37-76. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/9889. Acesso em: 01 de mar. de 2020.

SANTOS, Kátia Maria Limeira Santos. Educação rural no Brasil: Um olhar a partir do contexto histórico. IV Congresso Sergipano de História & IV Encontro Estadual de História da ANPUH/SE. O cinquentenário do golpe de 64. 2014. p.1-15. Disponível em: http://www.encontro2014.se.anpuh.org/resources/anais/37/1424131440_arquivo_KatiaMaria LimeiraSantos.pdf. Acesso em: 02 de jan. 2020.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia Histórico-crítica: primeiras aproximações. 6. ed. Campinas –SP, 1993.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: Uma introdução de teorias do Currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

SOUZA, Neli Pereira. REIS, Rosini Mendes. Educação do campo prática pedagógica. Curso História e Geografia/UNIVALE. Monografia. Umuarama-PR, 2009. p.11-41. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/file/2010/artigos_teses/2010/Historia/mono grafia/monografiareis.pdf. Acesso em: 27 de mar. 2020.

Downloads

Publicado

23/01/2022

Como Citar

SILVA, J. M. da; FARIA, W. F. de; CAETANO, R.; FRANÇA, R. de F. C. Adaptações curriculares para a educação do campo mediante as orientações da Base Nacional Comum Curricular - BNCC. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 9, p. 1–18, 2022. DOI: 10.26568/2359-2087.2022.6527. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/6527. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos Científicos