DA TERRITORIALIZAÇÃO CAMPONESA À TERRITORIALIZAÇÃO DO AGRONEGÓCIO: UM ESTUDO GEOGRÁFICO DA QUESTÃO AGRÁRIA EM SANTARÉM E BELTERRA/PA

Autores

  • Francilene Sales Conceição Universidade Federal de Rondônia

DOI:

https://doi.org/10.36026/rpgeo.v2i2.1733

Resumo

O avanço do agronegócio na Amazônia significou a reprodução ampliada do capital, configurando-se como uma cadeia produtiva de grãos, cujo objetivo é a maximização dos lucros em suas múltiplas escalas espaciais. Este estudo visa analisar o avanço do agronegócio no município de Santarém e Belterra, no oeste do Pará, a partir dos processos da territorialização do capital e da monopolização do território, na medida em que a espacialização de commodities representa um mecanismo de enfrentamento ao campesinato, causadores de conflituosidades e tensionamentos no ambiente camponês. O trabalho está estruturado em três dimensões analíticas: 1) Faz uma abordagem do conceito de territorialização do capital e da monopolização do território, a fim de compreender as novas dinâmicas territoriais implementadas no espaço agrário amazônico a partir da globalização da economia; 2) Apresenta um debate acerca de como o desenvolvimento do capitalismo no campo promoveu a modernização do território na Amazônia e resultou em um sistema mecanizado da terra, estabelecendo uma nova dinâmica em que é Bsistematicamente empiricizadas nas relações entre capital e trabalho; 3) Traça uma discussão sobre como o avanço da soja nos municípios de Santarém e Belterra suscitou na pressionamento/expropriação do campesinato, na mercantilização da terra e da natureza, no aumento dos preços das terras e na modernização da agricultura, no qual a dinâmica territorial local foi incorporada à economia global. Assim, a interação entre campesinato e agronegócio é compreendida por meio de dois territórios distintos que os dinamiza e resultam em disputas territoriais.

 

Palavras-chave: Território. Campesinato. Agronegócio.

Biografia do Autor

Francilene Sales Conceição, Universidade Federal de Rondônia

Licenciada em Geografia, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia/PPGG/UNIR, membro do Laboratório Gestão do Território-LAGET, participa do projeto intitulado “Globalização e Espaço Agrário em Rondônia” e bolsista da CAPES.

Downloads

Publicado

06/12/2015

Edição

Seção

Artigos