História e gestão institucional do egresso da UFMG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.3503

Palavras-chave:

UFMG – Campus Montes Claros. História da educação. Gestão de Egresso.

Resumo

A pesquisa teve por objetivo compreender como ocorreu historicamente a relação da UFMG – Campus Montes Claros com seus egressos. Para tanto, realizou-se uma pesquisa documental, com vistas a conhecer a história dessa Universidade em Montes Claros e, posteriormente, averiguar a existência de políticas de acompanhamento desses profissionais. O estudo apontou que a atuação da UFMG em Montes Claros tem contribuído para o desenvolvimento regional, considerando, especialmente, a vocação agropecuária e a demanda por profissionais da área das Ciências Agrárias. Ademais, não obstante o expressivo número de profissionais formados, constatou-se que não há uma política sistematizada de acompanhamento, nem o aproveitamento de possíveis informações de ações desenvolvidas pela Administração Central da Universidade. À vista disso, pode-se indicar que a Universidade deixa de ter acesso a informações capazes de contribuir em processos avaliativos, na escolha de políticas públicas, na reestruturação das grades curriculares e projetos pedagógicos dos cursos e, até mesmo, na celebração de convênios e parceiras com outras instituições públicas ou privadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edinalva Rodrigues Gonçalves, Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri (PPGED/UFVJM), Diamantina

Mestranda do Programa de Educação da UFVJM. Graduada em Direito pela Unimontes. Servidora da UFMG.

Daniel Calbino, Universidade Federal de São João del-Rei e do PPGED/UFVJM

Docente do Programa de Mestrado em Educação da UFVJM. Docente Adjunto da UFSJ. Doutor e Mestre em Administração pela UFMG. Especialista em Filosofia pela UFSJ. Graduado em Administração pela UFSJ.

Flavio Cesar Freitas Vieira, Docente da Universidade Federal de São João del-Rei e do PPGED/UFVJM

ocente do Programa de Mestrado em Educação da UFVJM. Doutor e Mestre em Educação pela UFU. Graduado em pedagogia pela UFU.

Referências

ARANHA, M. L. A. História da educação. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Moderna, 1996.

BRASIL. Decreto nº 63.416, de 11 de outubro de 1968. Provê sobre a transferência de estabelecimento de ensino agrícola para a Universidade Federal de Minas Gerais. Disponível em: <https://bit.ly/2OuMIcP>. Acesso em: 22 mai. 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

INAUGURADO o Colégio Agrícola de Montes Claros. Estado de Minas, n. 34, 21 jul. 1966.

LOUSADA, A. C. Z.; MARTINS, G. A. Egressos como fonte de informação a gestão dos cursos de Ciências Contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 16, n. 37, p. 73-84, 2005. Disponível em: <https://bit.ly/2D5mz39>. Acesso em: 1 ago. 2017.

MACHADO, G. R. Perfil do egresso da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2010. 337 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: <https://bit.ly/2OuN2bx>. Acesso em: 1 ago. 2017.

MEIRA, M. D. D.; KURCGANT, P. Avaliação de curso de graduação segundo egressos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 481-485, 2009. Disponível em: <https://bit.ly/2PM81ai>. Acesso em: 10 ago. 2017.

MELO FILHO, D. T. Os egressos do PPGCI/UFPB. 2014. 175 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Informação) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2pdXCsu>. Acesso em: 15 jun. 2018.

MICHELAN, L. S. et al. Gestão de egressos em instituições de ensino superior: possibilidades e potencialidades. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO UNIVERSITÁRIA NA AMÉRICA DO SUL, 9., 2009, Florianópolis. Anais... Florianópolis: [s.n.], 2009. Disponível em: <https://bit.ly/2NSI3oa>. Acesso em: 2 ago. 2017.

PAUL, G. Seminário discute criação de curso superior de Agronomia. Boletim UFMG, n. 796, p. 4-5, 17 mar. 1989.

PAUL, J. J. Acompanhamento de egresso do ensino superior. Caderno CRH, Salvador, v. 28, n. 74, p. 309-326, 2015. Disponível em: <https://bit.ly/2xl3xAm>. Acesso em: 15 jun. 2017.

PEIXOTO, M. C. L. et al. Educação básica e profissional na UFMG. Belo Horizonte: Imprensa Universitária, 1999.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

QUEIROZ, T. P. O bom filho a casa sempre torna. 2014. 202 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2MHpAGz>. Acesso em: 18 maio 2018.

SCHWARTZMAN, S.; CASTRO, M. H. M. A trajetória acadêmica profissional dos alunos da USP. Núcleo de Pesquisas sobre Ensino Superior da Universidade de São Paulo – NUPES. São Paulo, 1991.

SIMON, L. W.; PACHECO, A. S. V. Ações de acompanhamento de egresso. Revista Brasileira de Ensino Superior, Passo Fundo, v. 3, n. 2, p. 93-113, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2xjaLEY>. Acesso em: 1 ago. 2017.

UFMG explica extinção de ensino profissionalizante. O Norte de Minas, 24 abr. 2007. Disponível em: <https://bit.ly/2Oxttzw>. Acesso em: 5 jun. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Conselho Universitário. Comissão de Legislação. Parecer nº 07/76, de 15/10/1976[a]. Exame e pronunciamento acerca do projeto de Resolução que institui o “Campus” Regional de Montes Claros.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Comissão de Legislação. Parecer nº 04/98, de 21/05/1998[a]. Manifesta sobre a criação do Curso de Graduação em Agronomia, vinculado ao NCA.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Conselho Universitário. Comissão de Legislação. Parecer 11/2004, de 14/08/2004. Manifesta sobre a criação do Curso de Graduação em Zootecnia.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Plano de desenvolvimento institucional 2008-2012[c]. Disponível em: <https://bit.ly/2PKsHPP>. Acesso em: 05 ago. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Reitoria. Portaria nº 768, de 18 de dezembro de 1975. Institui junto ao Colégio Agrícola Antônio Carlos Versiani Athayde o Núcleo de Tecnologia em Ciências Agrárias.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Conselho Universitário. Resolução nº 03/76, de 15 de outubro de 1976[b]. Institui o Campus Regional de Montes Claros.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução nº 04/98, de 28 de maio de 1998[b]. Cria o Curso Superior em Agronomia, de interesse do Núcleo de Ciências Agrárias de Montes Claros.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução nº 09/2004, de 16 de setembro de 2004. Cria o Curso de Graduação em Zootecnia, de interesse do Núcleo de Ciências Agrárias – Campus [sic] Regional da UFMG em Montes Claros.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução nº 31/2007, de 20 de dezembro de 2007. Extingue o Curso Técnico de Agropecuária (Nível Médio) no Núcleo de Ciências Agrárias, Campus [sic] Regional da UFMG em Montes Claros.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução Complementar nº 02/2008, de 15 de maio de 2008[a]. Reedita a Resolução Complementar nº 01/2007, de 03/05/2007, que define as Unidades Acadêmicas e as Unidades Especiais da UFMG, transformando em Unidade Acadêmica o Núcleo de Ciências Agrárias – NCA, que passa a denominar-se Instituto de Ciências Agrárias – ICA.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Reitoria. Portaria nº 02/2008, de 21 de maio de 2008[b]. Transformar o NCA, Unidade Especial da UFMG, em Unidade Acadêmica, alterando sua denominação para Instituto de Ciências Agrárias (ICA).

Downloads

Publicado

13/09/2019

Como Citar

GONÇALVES, E. R.; CALBINO, D.; VIEIRA, F. C. F. História e gestão institucional do egresso da UFMG. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 6, n. 15, p. 171–190, 2019. DOI: 10.26568/2359-2087.2019.3503. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/3503. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos