Teoria das representações sociais: a emergência epistemológica para a educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.3562

Palavras-chave:

Representações Sociais. Epistemologia. Educação.

Resumo

O objetivo deste ensaio é apresentar, a partir de uma incursão na literatura, os fundamentos históricos, teóricos e epistemológicos que culminaram na criação da Teoria das Representações Sociais (TRS), em meados da década de 1960, na França, pelo psicólogo romeno Serge Moscovici, buscando estabelecer relações do referido postulado teórico com o campo da Educação. Fundamentamo-nos teoricamente nas produções de Moscovici (2007); Jodelet (2011); Abric (2002); Farr (2013); Arruda (2005); Doise (2002), entre outros pesquisadores, que trouxeram importantes contribuições para as reflexões teóricas tecidas ao longo deste texto. Concluímos as reflexões apostando na importante contribuição da noção de representações sociais como subsídio para a configuração de um novo paradigma educacional que desestabilize as hierarquizações entre o conhecimento historicamente concebido como científico e o conhecimento do senso comum, entre saber popular e o saber erudito. Nesse sentido, apostamos na emergência do delineamento de um novo princípio epistemológico e paradigmático para o campo da Educação, que englobe os diferentes conhecimentos na perspectiva da ecologia de saberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jefferson da Silva Moreira, Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde - Bahia

Licenciado em Pedagogia pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Mestrando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha de pesquisa Currículo, Formação e Práticas Pedagógicas (PPGE/UEFS). Especialista em Docência no Ensino Superior pela Faculdade de Ciências e Tecnologias (FTC).Atualmente, é Coordenador Pedagógico na Prefeitura Municipal de São Francisco do Conde - Bahia, onde exerce o cargo de gerente dos Anos Finais do Ensino Fundamental, na Secretaria Municipal de Educação. Tem realizado aprofundamento de estudos e pesquisas sobre o tema da formação de professores, aprendizagem profissional da docência, base de conhecimento para o ensino, processos de raciocínio pedagógico e casos de ensino como instrumentos formativos e investigativos. Durante a graduação, atuou como bolsista de iniciação científica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, sendo premiado em primeiro lugar, nos anos de 2014 e 2015 na Categoria Ciências Humanas, Letras e Artes como melhor trabalho apresentado na modalidade comunicação oral no seminário de iniciação científica da UEFS. 

Eduardo Oliveira Miranda, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana

Professor Assistente da Universidade Estadual de Feira de Santana, lotado no Departamento de Educação na área de Política e Gestão Educacional, atuando nos componentes curriculares: Avaliação no Contexto Educacional; Política e Gestão Educacional; Relações Étnico-Raciais na Escola. Possuo Licenciatura em Geografia (UEFS - 2011) e Pedagogia (FAC - 2016). Mestre em Desenho, Cultura e Interatividade - UEFS (2014). Doutorado em Educação - Universidade Federal da Bahia (UFBA - 2019). Especialista em Ensino de Geografia - UCAM (2017). Especialista em Educação Ambiental com Enfase em Espaços Educadores - UFBA (2017). Tem experiência docente na Educação Básica, Ensino Superior e Pós-Graduação. Desenvolve produções na área da Educação com ênfase em: Cultura, Raça, Gênero, Sexualidade e Classe. No momento, é membro dos grupos de estudos "Artes do Corpo: memória, imagem e imaginário - UEFS" e "HCEL - Historia da Cultura Corporal, Educação, Esporte, Lazer e Sociedade - UFBA" nos quais desenvolvo pesquisas, bem como produções científicas (artigos, minicursos, oficinas, entre outros), Pesquisador membro da ABPN - Associação Brasileira de Pesquisadores Negros. Contribui como parecerista Ad hoc das Revistas Eletrônicas: Revista Educação em Foco - Faculdade de Educação, da Universidade do Estado de Minas Gerais; Revista Argumentos Pró-Educação - Mestrado em Educação da Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS); Revista de Educação Popular - Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

 

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações sociais e Educação: a qualidade da pesquisa como meta política. In: OLIVEIRA, D. C.; CAMPOS, P. H. (Org.) Representações sociais: uma teoria sem fronteiras. Rio de Janeiro: Museu da República, 2005.

ABRIC, J. C. O estudo experimental das representações sociais. In: JODELET, Denise (Org.) Representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2002.

ARRUDA, A. Teoria das representações sociais e história: um diálogo necessário. Paidéia, 2005.

DOISE, W. Da psicologia social à psicologia societal. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Jan-Abr 2002, Vol. 18 n. 1, pp. 027-03.

ENS, R.T; GISI, M. L; EYNG, A. M. Políticas de formação de professores e representações sociais de estudantes de licenciaturas: aproximações e implicações para a política de mudança. In: SOUSA, et al. (Orgs.). Representações Sociais: políticas educacionais, justiça social e trabalho docente. Curitiba: Champagnat, 2012.

FARR, R. M. Representações sociais: a teoria e sua história. In: JOVCHELOVITCH, Sandra; GUARESCHI, Pedrinho (Orgs.). Textos em representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

MARKOVÁ, I. Amedee or how to get rido of it: Social representations from a dialogical perspective. Culture and Psychology, 2000, p. 149-160.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar. 1976.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. 5. ed. Trad. P.A. Guareschi. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2007.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Rio de Janeiro, RJ: Vozes, 2003.

MENEZES, M. A. Redes e enredos nas trilhas dos migrantes: um estudo de famílias de camponeses migrantes. João Pessoa: Editora UFPB, 2012.

SOUSA, C. P.; VILLAS BÔAS, L.P.S; NOVAES, A. Contribuições dos estudos de representações sociais para a compreensão do trabalho docente. In: Teoria das representações sociais – 50 anos. São Paulo, Editora Technopolitik, 2012.

ORNELLAS, Maria de Lourdes Soares; MAGALHÃES, Poliana M. M DE S. . Representações Sociais sobre o afeto do aluno: um estilo no ensinar e aprender. In: PLACCO, V. M. N. S; VILLAS BOAS, L. P. S; SOUSA, C. P. (Orgs.) Representações sociais: diálogos com a educação. 1.ed. São Paulo: Editora Universitária, Champagn, Fundação Carlos Chagas, 2012, v. 1, p. 249-276.

PLACCO, Vera Maria N. de Souza; SOUZA, V. L. T. O trabalho do coordenador pedagógico na visão de professores e diretores: contribuições à compreensão de sua identidade profissional. In: PLACCO, Vera Maria N. de Souza e ALMEIDA, Laurinda Ramalho de (Org.). O coordenador pedagógico: provocações e possibilidades de atuação. 1. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012. p. 9-20.

RATEAU et. al. Social Representation Theory. In: Handbook of theories of social psychology. Los Angeles: SAGE, 2012. p. 477-497.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1996.

SÁ, C. P. O estudo das representações sociais no Brasil. Revista de Ciências Humanas, Florianópolis: EDUFSC, Edição Especial Temática, p.11-31, 2000.

SOUSA, C.P.; VILLAS BÔAS, L.P.S.; NOVAES, A.O. Contribuições dos estudos de representações sociais para a compreensão do trabalho docente. In: ALMEIDA, A.M.O.; SANTOS, M.F.S.; TRINDADE, Z.A. (Orgs.). Teoria das Representações Sociais – 50. Brasília: Technopolitik, 2011.

SILVA, O. S. et. al. Utilização das Representações Sociais no Campo da Saúde – UFPB - João Pessoa: Tendências e Perspectivas. In: COUTINHO, M. P. L. et. al. (Orgs.) Representações Sociais: abordagem interdisciplinar. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2003.

SOUSA, C. P.; NOVAES, A. O. A compreensão da subjetividade na obra de Moscovici. In: ENS, R. T.; VILLAS BÔAS, L. P. S.; BEHRENS, M. A. (Orgs.). Representações sociais: fronteiras, interfaces e contextos. v. 8. Curitiba: Champagnat. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2012. p.21-36.

SOUSA SANTOS, B. A. crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SOUSA SANTOS, B. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SOUZA, E. M; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. Desafios para a prática de formação continuada em serviço. In: PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza; ALMEIDA, Laurinda. Ramalho. O coordenador pedagógico: provocações e possibilidades de atuação. 1. ed. São Paulo: Loyola, 2012.

TEDESCO, J. Presentación. In: OLIVEIRA, D. A. et al. Políticas educativas y territorios: modelos de articulación entre niveles de gobierno. Buenos Aires: IIPE/UNESCO, 2010. p. 1-4.

VILLAS BÔAS, L. P. S. et. al. Representações sociais: a historicidade do psicossocial. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 14, n. 42, p. 585-603, maio/ago, 2014.

Downloads

Publicado

13/09/2019

Como Citar

MOREIRA, J. da S.; MIRANDA, E. O. Teoria das representações sociais: a emergência epistemológica para a educação. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 6, n. 15, p. 98–113, 2019. DOI: 10.26568/2359-2087.2019.3562. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/3562. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos