A perspectiva da tecnologia assistiva em produções científicas sobre SRM

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.3671

Palavras-chave:

Produção Científica. Sala de Recurso Multifuncional. Tecnologia de Informação e Comunicação. Tecnologia Assistiva

Resumo

O objetivo deste artigo foi identificar, na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), produções científicas no campo da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) como instrumento da Tecnologia Assistiva (TA) nas Salas de Recursos Multifuncionis (SRM) no processo de inclusão da Pessoa com Deficiência, bem como contribuir para tese de doutoramento em Educação na Universidade Federal de Sergipe (UFS). A pesquisa foi direcionada por busca booliana através da qual combinaram-se palavras-chave usando os operadores AND, OR, NOT do modo a tornar a tarefa mais eficiente. A busca por termos específicos permitiu mapear diversos matizes, dentre os quais a presença de produções científicas relacionadas com as TIC, TA e SRM nas universidades brasileiras e mais especificamente na UFS. Foram analisadas de forma qualitativa as produções científicas em âmbito nacional e não foi identificada nenhuma produção referente ao corpus de análise sobre a temática, o que parece ser indicativo de que a TA na área educacional ainda está em construção como instrumento em benefício da superação dos processos de negação e exclusão que o aluno com deficiência ainda vivencia na escola. Daí a necessidade de produções sobre esta temática que emerge na sociedade contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Araújo Reis, Secretaria Estadual de Educação de Sergipe Programa de Pós graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe

Doutorando e mestre em educação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Sergipe, licenciado em pedagogia e ciências biológicas, bacharel em ciências biológicas modalidade médica, professor da rede pública estadual de Sergipe gestor do Centro de Atendimento Educacional Especializado João Cardoso do Nascimento Junior e membro do Núcleo de Pesquisas em Inclusão e Tecnologia Assistiva – NUPITA e do grupo de estudos e pesquisa Formação de Professores e Tecnologias da Informação e Comunicação – (FOPTIC) CNPQ/UFS. 

Carlos Alberto vasconcelos, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju

Departamento de Educação - Programa de Pós graduação em Educação; Doutor em Geografia Pós-doutor em Educação; Doutorando e mestre em educação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Sergipe, licenciado em pedagogia e ciências biológicas, bacharel em ciências biológicas modalidade médica, professor da rede pública estadual de Sergipe gestor do Centro de Atendimento Educacional Especializado João Cardoso do Nascimento Junior e membro do Núcleo de Pesquisas em Inclusão e Tecnologia Assistiva – NUPITA e do grupo de estudos e pesquisa Formação de Professores e Tecnologias da Informação e Comunicação – (FOPTIC) CNPQ/UFS. 

Referências

BARBOSA, J. S. L. A tecnologia assistiva digital na alfabetização de crianças surdas. 2011. 195 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, Sergipe, 2011.

BERSCH. R. Design de um serviço de tecnologia assistiva em escolas públicas. 2009. 231 p. Dissertação (Mestrado em Design) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2009.

BERSCH, R. Tecnologia assistiva - TA: Aplicações na Educação/ Módulo III. Santa Maria, 2012.

BERSCH, R. Introdução às tecnologias assistivas. Porto Alegre: Autora, 2017. Disponível em: <http://www.assistiva.com.br/Introducao_Tecnologia_Assistiva.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2018.

CALHEIROS, S. D. et al. Considerações acerca da tecnologia assistiva no cenário educacional brasileiro. Revista Educação Especial, v. 31, n. 60, p. 229-244, Santa Maria, jan./mar. 2018.

EMER S. O. Inclusão escolar: formação docente para o uso das TIC aplicada como tecnologia assistiva na sala de recurso multifuncional e sala de aula. 2011. 164 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2011.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, São Paulo, ano 23, n. 79, p. 257-272, ago. 2002.

GALVÃO FILHO, T. Ambientes computacionais e telemáticos no desenvolvimento de projetos pedagógicos com alunos com paralisia cerebral. 2004. 146 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Bahia. Salvador, Bahia, 2004.

GALVÃO FILHO, T. A Tecnologia assistiva: de que se trata? In: MACHADO, G. J. C.; SOBRAL, M. N. (Org.). Conexões: educação, comunicação, inclusão e interculturalidade. Porto Alegre: Redes Editora, 2009a. p. 207-235.

GALVÃO FILHO, T. Tecnologia Assistiva para uma escola inclusiva: apropriação, demandas e perspectivas. 2009. 346 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia. Salvador, Bahia, 2009b.

GALVÃO FILHO, T. Tecnologia assistiva: favorecendo o desenvolvimento e a aprendizagem em contextos educacionais inclusivos. In: GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (Org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Cultura Acadêmica, 2012. p. 65-92.

GALVÃO FILHO, T. A construção do conceito de tecnologia assistiva: alguns novos interrogantes e desafios. Revista Entre ideias, Salvador, v. 2, n. 1, p. 25-42, jan./jun. 2013.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: O futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: 34, 2008.

PRADO, R. B. S. Tecnologia assistiva para o ensino da matemática aos alunos cegos: o caso do centro de apoio pedagógico para atendimento às pessoas com deficiência visual. 2013. 144 p. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática) – Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, Sergipe. 2013.

PRETTO, N. L. Uma escola sem/com futuro: educação e multimídia. Campinas: Papirus, 1996.

REIS, A. A. Educação ambiental e educação inclusiva: possíveis conexões. 2016. 157 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, Sergipe, 2016.

SANTOS, S. A. Prospecção em tecnologia assistiva para alunos com surdez e cegueira no ensino superior: um estudo do futuro. 2015. 78 p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Propriedade Intelectual) – Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, Sergipe, 2015.

SILVA, J. P. O uso das Tecnologias de Informação e Comunicação aplicadas como Tecnologia Assistiva na construção do conhecimento dos alunos com deficiência visual que frequentam as Salas de Recursos Multifuncionais. 2015. 125 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Oeste Paulista. Presidente Prudente, São Paulo, 2015.

SILVA, T. S. Ensino de ciências em uma perspectiva inclusiva: utilização de tecnologia assistiva com alunos com deficiência visual. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe, 2014.

SOUZA, A. D. O uso de tecnologias assistivas no acesso à web por alunos com deficiência visual da UFS. 2015. 161 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão, Sergipe, 2015.

SOUZA, R. C. S. Educação inclusiva e deficiência visual. São Cristóvão, SE: Criação, 2012.

SOUZA, R. C. S. Diferentes olhares, um mesmo foco: educação. São Cristóvão, SE: Criação, 2013.

SILUK, A. C. P. Formação de professores para o AEE. Santa Maria, 2012.

STAINBACK, S.; STRAINBACK, W. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes. Porto Alegre: Artmed, 1999.

VASCONCELOS, C. A. Interfaces interativas na educação a distância: estudos sobre cursos de geografia. Recife: Ed. UFPE, 2017.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

Downloads

Publicado

13/09/2019

Como Citar

REIS, A. A.; VASCONCELOS, C. A. A perspectiva da tecnologia assistiva em produções científicas sobre SRM. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 6, n. 15, p. 7–26, 2019. DOI: 10.26568/2359-2087.2019.3671. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/3671. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos