Um olhar sobre o fazer artístico e os desafios do professor de arte nos anos iniciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.3877

Palavras-chave:

Atividade criadora. Fazer artístico. Abordagem triangular. Arte-educação.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo abordar o conceito de “atividade criadora” de Lev Vygotsky, bem como o “fazer artístico” segundo Ana Mae Barbosa, respondendo a dois questionamentos: O professor deverá impor limites nas atividades criadoras de arte? Como devem ser as intervenções do professor de arte nos anos iniciais? Buscamos responder tais questionamentos a partir da reflexão sobre como se dá a práxis pedagógica desses conceitos, e como as intervenções de professores de arte nos anos iniciais do ensino fundamental acontecem. Como suporte para nosso estudo, buscamos fundamentos na Abordagem Triangular de Ana Mae Barbosa e nos pensamentos de Vygotsky e Arnheim sobre a imaginação e a atividade criadora dos estudantes. Esta pesquisa caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica. Os resultados apontam a relevância da relação entre a prática e teoria na ação docente, assim como a necessidade do conhecimento dos períodos do desenvolvimento da criança para evitar que esses sejam acelerados.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edinaldo Gonçalves Coelho, Secretaria Estadual de Educação, Porto Velho

Possui Licenciatura em Artes - Habilitação Educação Artística pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais, SP (2014). Especialista em Metodologia do Ensino de Artes pelo Centro Universitário Internacional - Uninter, PR (2016), especialista em História da Arte pelo Centro Universitário Claretiano (2018) e Mestre em Estudos Literários na linha de pesquisa "Literatura, Outros saberes e Outras Artes" pela Universidade Federal de Rondônia/UNIR (2016-2018) . Professor de Arte do Ensino Fundamental e Médio da rede pública de ensino do Estado de Rondônia e da rede privada. Tem experiência em Artes Visuais, Literatura e Artes Plásticas.

 

Sorhaya Chediak, Secretaria Estadual de Educação, Porto Velho

Possui Mestrado em Letras pela Universidade Federal de Rondônia - UNIR (2014), Especialização em Linguística Aplicada à Produção de texto - UNIRON (2006), Graduação em Letras/Português e suas respectivas Literaturas (UNIR - 2003) e curso técnico integrado ao médio em Magistério. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e suas respectivas Literaturas. É pesquisadora do Grupo de Pesquisa GEAL - Grupo de Estudos Integrados sobre a Linguagem, Educação e Cultura e participa também do grupo de pesquisa NEHLI - Núcelo de Estudos Históricos e Literários (IFRO). Possui experiência em docência em todos os níveis da educação básica e em Formação Docente. Atualmente atua como formadora no Núcleo de Formação de professores (SEDUC-RO), como Consultora/formadora educacional na área de formação de professores e revisora de textos/materiais didáticos.

Referências

ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo: Perspectiva, 1991.

BARBOSA, Ana Mae. A Imagem no Ensino da Arte: anos oitenta e novos tempos. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1994.

DONDIS, D. Donis. Sintaxe da linguagem visual. Trad. Jefferson L. Camargo. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FERRARI, Dércio F. M. Desenvolvimento Cognitivo: As Implicações Das Teorias De Vygotsky E Piaget No Processo De Ensino Aprendizagem. 2014. 37 f. Monografia (especialização em educação). UTFPR, PR.

FERREIRA, Ana Patrícia. A Importância do ensino de Artes visuais na educação infantil. 2015. 39 f. Monografia (especialização em artes visuais). UFMG, MG.

IAVELBERG, Rosa. Para gostar de aprender arte; sala de aula e formação de professores/Rosa Iavelberg. Porto Alegre; Artemed,2003.

MACHADO, Regina Stela (2010) “Sobre mapas e bússulas: apontamentos a respeito da abordagem triangular.” In: Barbosa, Ana Mae; Cunha, Fernanda Pereira da (Orgs.). A abordagem triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo: Cortez. ISBN 978-85-249-1664-9.

MARTINS, LM., and DUARTE, N., orgs. Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

VYGOTSKY, Lev. S. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico. Apresentação e comentários de Ana Luiza Smolka. Tradução de Zoia Prestes. São Paulo: Ática, 2009.

Downloads

Publicado

13/09/2019

Como Citar

COELHO, E. G.; CHEDIAK, S. Um olhar sobre o fazer artístico e os desafios do professor de arte nos anos iniciais. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 6, n. 15, p. 155–170, 2019. DOI: 10.26568/2359-2087.2019.3877. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/3877. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos