SABERES DOCENTES E ESQUEMAS PROFISSIONAIS EM SITUAÇÕES DE PRODUÇÃO TEXTUAL COLETIVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2023.5042

Palavras-chave:

Saberes docentes, Esquemas profissionais, Produção coletiva de textos

Resumo

O artigo analisou a prática pedagógica de uma professora do 5º ano do ensino fundamental da rede municipal do Recife, investigando seus saberes docentes e os esquemas profissionais adotados por ela em situações de produção coletiva de textos na escola. A coleta de dados se deu por meio de questionário referente a formação profissional da professora e seus saberes, observação e videogravação de duas aulas de produção coletiva de textos, e entrevista clínica com o intuito de ouvir suas impressões e explicações sobre as ações, nos permitindo identificar os esquemas profissionais que ela utilizava nessas situações de produção coletiva de textos. A análise dos dados revelou que a docente possuía diversos esquemas profissionais construídos por ela ao longo de sua prática profissional, mas também observamos outros esquemas profissionais advindos de experiências de outros professores e de sua própria formação inicial e continuada. O longo tempo de atuação docente demonstrou garantir a constituição de saberes experienciais que lhe permitiram criar esquemas de ação, facilitando o desenvolvimento de situações de ensino e aprendizagem bem sucedidas.

Biografia do Autor

Vinicius Martins Varella, Universidade Federal da Paraíba

Professor Adjunto da Universidade Federal da Paraíba - UFPB. Doutor em Educação pela UFPE (2017). Mestre em Educação pela UFPE (2013) na área de Educação e Linguagem. Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão em EaD pela UFF/RJ (2012) e Gestão Escolar pela Universidade Gama Filho (2008), graduação em Pedagogia - Faculdades Integradas Simonsen/RJ (1999), licenciatura em Matemática pela universidade Castelo Branco UCB/RJ (2006). Tutor da EaD no curso de Licenciatura em Língua Portuguesa (2014/2015) na UFPB pela UAB. Professor Bolsista em disciplina de Licenciatura à Distância em Letras Virtual da UFPB (desde 2010). Professor Formador em Educação do Campo do subprojeto do PNAIC/MEC (UFPE/Caruaru, 2015). Avaliador de banca de seleção de professores na UNIPÊ (2015-2016). Avaliador de banca de pós-graduação pelo Senac (2016). Pesquisador do PROBEX/UFPB (2010) na área de Letramento e Gênero Textual. Cursou disciplina de Fórum de Pesquisa no Mestrado em Educação UERJ/2008. Tem experiência na área de Educação, Formação Docente, Letramento, Produção Textual e Gêneros discursivos no ensino, Educação do Campo, Metodologia de ensino e do trabalho científico. Para entrar em contato ligar para (083) 98824-9188 ou pelo e-mail vinicius.varella@uol.com.br.

Thais Thalyta Silva, Universidade Federal da Paraíba

Professora EBTT na Universidade Federal da Paraíba. Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco (2010), Mestrado em Educação do PPGE-UFPE (2013), na linha de Educação e Linguagem, com a dissertação "Avaliação da alfabetização: um exame de diferentes edições da Provinha Brasil", e Doutorado em Educação pelo PPGE-UFPE (2018) na mesma linha , com a tese "O ensino da modalidade escrita da língua no final da Educação Infantil: concepções e práticas de docentes." Interessa-se por Educação e linguagem, Educação Infantil, Ensino-aprendizagem, Avaliação, Formação de professores e Fundamentos Psicológicos da Educação.

Referências

CÈBE, Sylvie; GOIGOUX, Roland. Concevoir un instrument didactique pour améliorer l’enseignement de la compréhension de textes. Repères | 35 | 2007 | 185.

CHARTIER, Anne-Marie. Um dispositivo sem autor: cadernos e fichários na escola primária. Revista Brasileira de História da Educação, n°3 jan./jun. 2002.

CRUZ, Magna do Carmo Silva. Tecendo a alfabetização no chão da escola seriada e ciclada: a fabricação das práticas de alfabetização e a aprendizagem da escrita e da leitura pelas crianças. 2012. Tese (Pós-Graduação em Educação) - Universidade Federal de Pernambuco.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GAMA, Ywanoska Maria Santos da. Construção das práticas de alfabetização: elementos da formação continuada mobilizados no cotidiano da sala de aula. 2014. Tese (Pós-Graduação em Educação) - Universidade Federal de Pernambuco.

GOIGOUX, Roland. Analyser l’activité d’enseignement de la lecture: une monographie. Revue Française de Pédagogie, 2002.

GOIGOUX, Roland; VERGNAUD, Gérard. Esquemas profissionais. 2002

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Editora Atlas, 1991.

LESSARD, Claude; TARDIF, Maurice. Les identidés enseignantes: de facteus de différenciation du corps enseignant québécois 1960-1990. Canadá: Éditions du CRP, Faculté d’éducation, Université de Sherbrooke, 2003.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

PERRENOUD,Philippe. A Prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Editora: Penso, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

VAZQUEZ, Adolfo Sanchez. Filosofia da práxis. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

VERGNAUD, Gérard. La conceptualisation, clef de voûte des rapports entre pratique et théorie. Portail national des professionnalité des enseignants. Université d’automne: França, 2002. Disponível em: http://eduscol.education.fr/cid46598/la-conceptualisation-clef-de-voute-des-rapports-entre-pratique-et-theorie.html.

VIEIRA, Sônia. Como elaborar questionários. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

Downloads

Publicado

11/06/2023

Como Citar

VARELLA, V. M.; SILVA, T. T. SABERES DOCENTES E ESQUEMAS PROFISSIONAIS EM SITUAÇÕES DE PRODUÇÃO TEXTUAL COLETIVA. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 10, p. 1–27, 2023. DOI: 10.26568/2359-2087.2023.5042. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/5042. Acesso em: 7 dez. 2023.

Edição

Seção

Artigos Científicos