“Ver para prever a fim de prover”: a voz de professores rurais gaúchos nos boletins do ensino rural (década de 1950)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2020.5479

Palavras-chave:

Educação Rural, Boletins do Ensino Rural, Ruralismo Pedagógico

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar alguns discursos de professores rurais gaúchos da década de 1950 presentes nos Boletins do Ensino Rural, que foram produzidos e publicados pela Superintendência do Ensino Rural, vinculada à Secretaria de Educação e Cultura do Rio Grande do Sul, um impresso oficial que tinha como propósito a instrução e o fortalecimento das instituições de ensino rural, voltado, especialmente, para os professores das escolas rurais. Os Boletins analisados referem-se aos números publicados nos anos de 1954, 1954/1955, 1956, 1957 e 1958. Para tanto, utilizamos como referencial teórico-metodológico os escritos de Carlos Bacellar (2005), no que tange à análise documental, e Bezera Neto (2003) e Sud Mennucci (1946), no tocante ao ruralismo pedagógico. O processo de análise documental possibilitou perceber a ação empreendida pela Superintendência do Ensino Rural para alcançar os preceitos defendidos pelo ruralismo pedagógico. Os textos produzidos por professores de escolas rurais apresentavam os problemas e as potencialidades destas comunidades, indicando práticas de ensino e postura adequadas à “missão” a ser desempenhada pelos docentes rurais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisiane Sias Manke, Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Pelotas

Possui Graduação em História (2002) pela Universidade Federal de Pelotas, Mestrado (2006) e Doutorado (2012) em Educação pelo PPGE da Faculdade de Educação da UFPel, como estágio de doutorado sanduíche (PDEE) na École Normale Superièure de Lyon/França. Realizou estágio de pós-doutorado (com bolsa CNPQ) na Universidade Federal de Minas Gerais em 2015-2016. É Professora do departamento de História da Universidade Federal de Pelotas e do Programa de Pós-graduação em História da mesma instituição.

Weliton Barbosa Kuster, Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Pelotas

Possui Graduação em História (2019) pela Universidade Federal de Pelotas. Integrante do grupo de pesquisa Centro de Estudos e Investigações em História da Educação (CEIHE) - PPGE/UFPel. Atuou como Bolsista de Iniciação Cientifica  - FAPERGS e CNPQ - de 2016 a 2019.

Referências

BACELLAR, Carlos. Fontes documentais: uso e mau uso dos arquivos. In: C. B. Pinsky (org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2010.

BEZERRA NETO, Luiz. Avanços e retrocessos da educação rural no Brasil. (Tese de Doutorado). UNICAMP, Campinas, 2003.

Boletins da Superintendência do Ensino Rural do estado do Rio Grande do Sul – Centro de Documentação (CE-DOC) do Centro de Estudos e Investigações em História da Educação (CEIHE) - Universidade Federal de Pelotas – anos consultados: 1954, 1954/1955, 1956, 1957 e 1958.

CONCEIÇÃO, Diamantina Costa. Qual o melhor processo para a dinamização e desenvolvimento cultural e econômico dos municípios brasileiros. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1956.

FILHO, Samuel Jose de Souza. Biblioteca Ambulante Escolar Rural. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1954/1955.

HEIM, Eleonora. Problemas: infrequência - indisciplina - cultivo da terra. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1954/1955.

JULIA, Dominique. La culture scolaire comme objet historique. Paedagogica Historica. International journal of the history of education (Suppl. Series, vol. I, coord. A. Nóvoa, M. Depaepe e E. V. Johanningmeier, 1995.

KOLKY, Lauro. Aspecto Pedagógico da Zona Rural. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1954.

LEITE, Sergio Celani. Escola rural: urbanização e políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1999.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

MAGALHÃES. Alzira Fonseca. Aspectos da ambiência rural. In: Boletins da Superintendência do Ensino Rural, 1954.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. Breve apontamento para a história das instituições educativas. In: História da educação: perspectivas para um intercâmbio internacional. Campinas, SP: Autores Associados, Histedbr. p. 67-72, 1999.

MENNUCCI, Sud. Discursos e conferências ruralistas. São Paulo, 1946.

PRADO, Adonia Antunes. Ruralismo pedagógico no Brasil do Estado Novo. Estudos Sociedade e Agricultura. Rio de Janeiro, n. 4, p. 5-27, jul. 1995.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EPU; Rio de Janeiro: Fundação Nacional de Material Escolar, 1974.

QUADROS, Claudemir de. Centro de Pesquisas e Orientação Educacional - CPOE/RS: discursos e ações institucionais. Porto Alegre: UFRGS, 2005. Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Educação, Tese de Doutorado.

SILVA, Osmar. O valor da flor na escola. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1954.

SILVA, Ruth Ivoty Torres da. Jornal. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1954/1955.

SZINVELSKI, Alfredo Eduardo. A Escola Rural em dias de chuva. In: Boletins da Superintendência do Ensino Rural, 1954

TELES, J. F. A Educação Rural e seus problemas básicos. In: Boletim da Superintendência do Ensino Rural, 1956.

WERLE, Flávia Obino Corres. Educação Rural: impresso oficial para o fortalecimento da escola pública rural. In: Simpósio Brasileiro de História da Educação. Espirito Santo, anais, 2011.

WERLE. Flávia. Ensino rural e legitimação das ações do Estado. Revista Dialogo Educacional, PUC-PR, 2013.

Downloads

Publicado

14/12/2020

Como Citar

MANKE, L. S.; KUSTER, W. B. “Ver para prever a fim de prover”: a voz de professores rurais gaúchos nos boletins do ensino rural (década de 1950). EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 7, n. 17, p. 1193–1214, 2020. DOI: 10.26568/2359-2087.2020.5479. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/5479. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático