BERTHA LUTZ NA CONFERÊNCIA DE BALTIMORE E A ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE MULHERES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2023.7406

Palavras-chave:

Bertha Lutz, Conferência de Baltimore, Liga panamericana de mulheres, sessão feminismo

Resumo

O presente trabalho, tem como pressuposto refletir sobre a participação e influência de Bertha Lutz na Conferência de Baltimore, importante evento feminista que ocorreu em 1922 e toda uma articulação em torno da organização panamericana do movimento feminista, que se daria depois desse momento como desdobramento, como a criação da Liga panamericana de mulheres. Da mesma forma, procurar refletir sobre os desdobramentos dessa conferência, principalmente em relação a realização do Primeiro Congresso Internacional Feminista em 1922, em Petrópolis no Brasil e na imprensa em prol da organização feminina, dentro e fora da imprensa e especificamente na organização de uma agenda de luta em torno do feminismo panamericano que ela foi formando após essa ocasião. Foram usadas fontes do jornal o país e do acervo da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz Venancio Junior, Universidade do Estado do Rio de Janeiro/ Estudante de Doutorado

Doutor em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Possui Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Foi bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - Doutorado nota 10. Atualmente é professor da Prefeitura Municipal de São Gonçalo/RJ. Tem experiência na área de Educação com pesquisas voltadas para a história da educação, trajetórias de educadores, viajantes e Museu Educativo.

Referências

ATAS. Primeira Conferência Feminina de 1922 da. Arquivo Nacional. Fundo Federação Brasileira Pelo Progresso Feminino. 1922.

BENCHIMOL, J. L.: Adolpho Lutz: um esboço biográfico. História, Ciências, Saúde— Manguinhos, vol. 10(1): 13-83, jan.-abr. 2003.

DIWAN, Pietra. Raça Pura. Uma história da eugenia no Brasil e no mundo. São Paulo: Contexto. 2007.

FEMENÍAS, Maria Luisa, O feminismo latino-americano. Cartografia preliminar. Pasajes: Revista de pensamento contemporâneo. Revista X. v.16, n.1 P.224-238. 2021.

KARAWEJCYK. Mônica.O feminismo em boa marcha no Brasil! Bertha Lutz e a Conferência pelo Progresso Feminino. Revista Estudos Feministas. Florianópolis. 25 (2) e49845. 2018.

KEHL, Renato. Questões Relativa ao Casamento- O critério Eugenista - Como escolher um bom marido-O critério de um eugenista. 1 Conferência Feminista de 1922. In: Fundo, FBPF. 1922.

LOBO, Yolanda. Bertha Lutz. Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, Recife.2010.

MONTEIRO, Kimberly Farias. GRUBBA, Serratine Leilane. A luta das mulheres pelo espaço público na primeira onda do feminismo: De Suffragettes às Sufragistas. Direito e Desenvolvimento. João Pessoa. V.8, n.2, p.261-278. 2017.

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo. 2003.

PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo. Fundação Editora da UNESP, 1998.

QUADROS, Raquel dos Santos. Bertha Lutz e a Construção de Condições para a Autonomia da Mulher Brasileira: Trabalho, Política e Educação (1919-1937). Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes: Programa de Pós- Graduação em Educação Área de Concentração: Educação. Tese (Doutorado). Maringá- 2018- Universidade Estadual de Maringá. 2018.

Downloads

Publicado

30/12/2023

Como Citar

VENANCIO JUNIOR, A. L. BERTHA LUTZ NA CONFERÊNCIA DE BALTIMORE E A ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE MULHERES. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 10, p. 1–20, 2023. DOI: 10.26568/2359-2087.2023.7406. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/7406. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático