DIAGNÓSTICOS COMO CONTROLE DA VIDA: ENTREVISTA COM LYGIA VIÉGAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26568/2359-2087.2023.7477

Palavras-chave:

Medicalização. , Patologização. , Psicologia Escolar. , Formação de Professores/as.

Resumo

Trata-se de entrevista com Lygia de Souza Viégas, cujas contribuições ao campo da psicologia escolar e ao debate dos aspectos políticos, sociais e históricos que atravessam a temática da medicalização da vida escolar, são reconhecidos nacional e internacionalmente. É uma das organizadoras do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade e atua com formação de professores/as em uma perspectiva crítica. A entrevista foi realizada em março de 2022, por meio do Google Meet, com base em roteiro previamente elaborado. A gravação foi transcrita na íntegra e, após revisão textual, foi submetida à análise da entrevistada que alterou os aspectos que julgou pertinentes e autorizou a publicação. Além de abordar elementos históricos do processo de construção e enfrentamento às queixas escolares, a entrevistada apresenta as contribuições mais recentes do Fórum para o combate à patologização e medicalização da vida, apresentando importantes contribuições para a formação de psicólogos/as e professores/as.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Laura Salomão Pereira Fernandes, Universidade Federal de Rondônia

Graduanda do curso de Psicologia da Universidade Federal de Rondônia; Integrante do Grupo Amazônico de Estudos e Pesquisa em Psicologia e Educação (GAEPPE); Membra do Programa de Extensão Incubadora de Cooperativas Populares INCOOP/Unir.

Julia Cavalcante Pietrobeli, Universidade Federal de Rondônia

Graduanda do curso de Psicologia da Universidade Federal de Rondônia; Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Formação da Pessoa; Integrou o Programa de Educação pelo Trabalho – PET- Saúde/Interprofissionalidade. 

Marli Lucia Tonatto Zibetti, Universidade Federal de Rondônia

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1988); Mestra em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (2000); Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela mesma instituição (2005); Pós-Doutora pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (2014) . É professora associada do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Rondônia, atuando na graduação e no Mestrado em Psicologia. Membro da ABRAPEE e do GT Psicologia e Políticas Educacionais da ANPEPP; pesquisadora e líder do GAEPPE: Grupo Amazônico de estudos e pesquisas em Psicologia e Educação (UNIR). Vice Líder do Grupo Psicologia e Escolarização: políticas públicas e atividade profissional na perspectiva histórico-crítica (USP). Membro do Conselho Editorial da EDUFRO, da Revista Êxitus (UFOPA) e da Revista EDUCA (UNIR). Editora de Seção da Revista Psicologia Escolar e Educacional da ABRAPEE. Tem experiência em pesquisas no campo da Educação e da Psicologia Escolar investigando, principalmente, os processos de escolarização e sua significação para os sujeitos; a apropriação das políticas educacionais no cotidiano escolar e na formação de Professores.

Referências

BRASIL. Lei 13935 de 11 de dezembro de 2019. Dispõe sobre a prestação de serviços de psicologia e de serviço social nas redes públicas de educação básica. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/l13935.htm Acesso em: 19 jun. 2023.

HOOKS, Bell. Ensinando a Transgredir: A educação como prática de liberdade. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2013.

OLIVEIRA, Elaine Cristina de; VIÉGAS, Lygia de Sousa; MESSEDER NETO, Hélio da Silva (Org.) Desver o mundo, perturbar os sentidos: caminhos na luta pela desmedicalização da vida. Salvador: EDUFBA, 2021. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/35343. Acesso em: 19 jun. 2023.

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar. Histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T.A. Queiroz, 1990.

SOUZA, Denise Trento Rebello de. Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educação e Pesquisa. v. 32, n.3, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/CNCtVGSSmZCZpcnrfnbByyr/abstract/?lang=pt Acesso em: 13 jun. 2023.

VIÉGAS, Lygia de Sousa; RIBEIRO, Maria Izabel Souza; OLIVEIRA, Elaine Cristina de; TELES, Liliane Alves da Luz (Org.). Medicalização da Educação e da Sociedade: ciência ou mito? Salvador-BA: EDUFBA, 2014.

VIÉGAS, Lygia de Sousa. Progressão continuada e suas repercussões na escola pública paulista: concepções de educadores. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Psicologia. Universidade de São Paulo (USP). São Paulo.

VIÉGAS, Lygia de Sousa. Progressão continuada em uma perspectiva crítica em Psicologia Escolar: história, discurso oficial e vida diária escolar. Tese (Doutorado) - Instituto de Psicologia. Universidade de São Paulo (USP). São Paulo.

Downloads

Publicado

26/12/2023

Como Citar

FERNANDES, A. L. S. P.; PIETROBELI, J. C.; ZIBETTI, M. L. T. DIAGNÓSTICOS COMO CONTROLE DA VIDA: ENTREVISTA COM LYGIA VIÉGAS. EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação, [S. l.], v. 10, p. 01–16, 2023. DOI: 10.26568/2359-2087.2023.7477. Disponível em: https://periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/7477. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Entrevistas